Autismo e cursos online

Educacao-a-distanciaUm pouco sobre os cursos online, gratuitos, de nível universitário e de como eles podem ser úteis para pessoas com autismo de alto funcionamento
Por Murilo Queiroz, Revista Autismo

Recentemente os chamados MOOCs (Massive Open Online Course, cursos gratutos, online, de nível superior) têm recebido muita atenção. Cada um deles corresponde a mais ou menos uma matéria de faculdade, e qualquer pessoa com uma conexão à Internet pode participar: são gratuitos e interessantíssimos.
Sites como o Coursera.orgUdacity.com e edx.com, associados a universidades famosas (MIT, Harvard, Berkeley, e muitas outras) oferecem uma quantidade enorme de cursos – inicialmente apenas na área de engenharia mas hoje cobrindo muitas outras áreas, como literatura, história, medicina, política, química e economia. Muitos dos cursos, inclusive, contam como crédito nas universidades associadas (algumas delas cobram uma taxa nesse caso).
Eu estou atualmente fazendo meu terceiro curso (“Digital ASIC Design“, da North Carolina State University). Os outros dois que fiz foram do Coursera.org (“VLSI CAD“, que como o atual é da engenharia elétrica, e “Drugs and the Brain“, sobre neurofarmacologia, a minha primeira participação em um curso da área da saúde), que foram sensacionais.
Os cursos são todos oferecidos em inglês, o que pode ser um problema, mas uma excelente notícia é que a USP está lançando o primeiro MOOC da América Latina:
USP lança primeiro curso virtual gratuito de nível superior da América Latina
 
Além disso o portal Veduca traduz para português muitos dos cursos estrangeiros – hoje já são mais de 200 cursos, de 16 universidades diferentes: http://www.veduca.com.br/
E o que isso tudo tem a ver com autismo? No capítulo que escrevi para o livro “Síndrome de Asperger e Outros Transtornos do Espectro do Autismo de Alto Funcionamento”, do Dr. Walter Camargos Jr (que é o psiquiatra do meu filho Max) eu menciono justamente esse tipo de curso como uma alternativa para pessoas com autismo de alto funcionamento e Asperger:
Os MOOCs removem muitas das dificuldades encontradas em cursos tradicionais: os cursos têm legendas e os vídeos podem ser acompanhados no ritmo que o aluno quiser; as avaliações são por escrito, normalmente tem um prazo muito flexível, e dúvidas também podem ser discutidas também por escrito nos fóruns, o que ajuda tremendamente que tem dificuldades de comunicação.
Quando escrevi esse capítulo eu apenas imaginei, a partir da minha experiência, que poderia ser uma alternativa excelente. Hoje no blog  do Coursera eu li um depoimento que demonstra isso de forma contundente – a história de Daniel, um jovem de 17 anos com autismo severo e grande dificuldade de comunicação que participou de nada menos que seis cursos no último ano!
Not Impossible: The story of Daniel, a 17 year old with severe autism & his 6 completed Coursera courses
This is a post by Michael, Daniel’s father. Daniel is a 17 year old who has severe Autism. Daniel has, over the past year, taken and completed 6 Coursera courses. Their journey warmed our hearts and we asked Michael to share it with the Coursera community. We hope you enjoy Daniel’s story as much as we have.
 
.
Em tradução livre:

Não é impossível: A história de Daniel, um rapaz de 17 anos com autismo grave e os seus 6 cursos commpletados no Coursera

Este post é de Michael, pai de Daniel. Daniel é um rapaz de 17 anos que tem autismo severo. Ao longo do ano passado, ele fez seis cursos Coursera. Sua jornada alegrou nossos corações e pedimos a Michael que a compartilhasse com acomunidade Coursera. Esperamos que você aproveite a história de Daniel, tanto quanto nós.

Texto traduzido por Argemiro Garcia, do site Crônica Autista:
http://cronicaautista.blogspot.com.br/2013/06/nao-impossivel.html
:

Definitivamente algo emocionante e inspirador… e você, já pensou em ir (ou voltar…) à faculdade pela Internet?

Murilo Saraiva de Queiroz, 35 anos, é cientista da computação, mestre em engenharia eletrônica, e trabalha como engenheiro de hardware na NVidia. Ele mora em Belo Horizonte (MG) com sua esposa Cyntia, psicóloga, e seu filho, Max, de 6 anos, que tem autismo clássico. Seu e-mail é  muriloq@gmail.com

Anúncios