Aluno com deficiência, vítima de bullying, atira contra estudantes dentro de escola em Santa Luzia

Amanda Paixão e Danilo Emerich (*) – Hoje em Dia

Dois alunos da Escola Estadual Ephigênia de Jesus Werneck, no bairro Dona Rosarinha, em Santa Luzia, na Grande BH, foram baleados dentro da instituição de ensino, no início da manhã desta quinta-feira (4). Um jovem de 19 anos foi preso e confessou à polícia que cometeu o crime por ser vítima de bullying.

Segundo o comandante da 150ª Cia da Polícia Militar, Rodrigo de Lima Ferreira, o suspeito identificado como Alexandre Esteves dos Santos é portador de necessidades especiais e foi criado com a avó. Na noite passada, o tio de Alexandre teria ido visitar a família e dormiu na residência. O PM teria escondido a arma dentro de uma mochila e a guardado sobre um armário.Alexandre então teria descoberto o revólver e o levado para a escola, onde se deparou com outros dois alunos que o perseguiam há anos por causa de sua deficiência.

Jovens, que pediram para não serem identificados, relataram que primeiramente ouviram um barulho de rojão, parecido com o de uma bomba. Em seguida, escutaram pelo menos três disparos. As vítimas, de 16 anos, foram atingidas no ombro, de raspão na orelha e na região do abdômen, sendo socorridas para a Upa São Benedito e para o Pronto Atendimento de Santa Luzia. Ambos estudantes não correm risco de morte.Ainda segundo testemunhas, a avó do suspeito teria procurado a direção da escola várias vezes para relatar os abusos cometidos por outros estudantes com o neto, que constantemente levava tapas na cabeça e era alvo de piadas. O suspeito, na visão dos demais, seria um rapaz calmo e aparentemente não oferecia perigo. Alexandre foi preso em flagrante pela patrulha escolar e conduzido para a 150ª Cia. O revólver foi apreendido e os alunos da escola foram liberados após o episódio. Imagens das câmeras de segurança da instituição serão usadas no inquérito policial. Já os funcionários da instituição não quiseram falar com a reportagem do Hoje em Dia. O caso será registrado na Delegacia de Plantão da região.Atualizada às 10h15Professor detidoEm abril, a mesma escola foi palco de outro caso de polícia. Um professor, de 42 anos, foi detido depois que um aluno, de 17, ter o denunciado por agressão. O educador teria dado dois socos no estudante, depois de o jovem se recusar a deixar a sala de aula após um pedido do professor.O profissional de educação negou a versão do adolescente e disse que os alunos estariam brigando dentro da sala, quando pediu para que eles saíssem do local. Os jovens teriam agredido o homem, que revidou.Violência no bairroNa madrugada do último domingo (30), seis pessoas foram baleadas durante uma festa de família, também no bairro Dona Rosarinha. Segundo a polícia, a festa acontecia em uma casa na rua B, quando por volta de meia-noite, dois homens chegaram em uma motocicleta e, armados, e atiraram a esmo.Os tiros acertaram Jureide Costa Aguiar de Souza, de 46 anos, e os filhos dele, Arley Aguiar da Souza, 19, e um adolescente, 17, além de Ana Flávia Ribeiro da Cruz, 33, Graziele Souza de Oliveira Aguiar, 30, e um garoto de 16. Após o crime, os suspeitos fugiram e não foram mais localizados.As vítimas disseram a polícia que os criminosos teriam atirado contra elas porque um homem, que não teve o nome revelado, mas que estava na festa. O indivíduo teria participado da morte do técnico de enfermagemJésus Gabriel dos Nascimento, de 49 anos, ocorrida na quarta-feira (26), durante uma festa junina.(*) Com informações de Jefferson Delbem 

Anúncios