Passeios com crianças, grávidas e pessoas com deficiência exigem condições específicas de meios de hospedagem, transporte e atividades de lazer

Brasília, DF – De acordo com o Viaje Legal, uma publicação do Ministério do Turismo com informações para uma boa viagem, passeios com crianças, grávidas e pessoas com deficiência exigem uma análise cuidadosa do roteiro, das condições de transporte, dos meios de hospedagem e das opções de lazer. “É um público que exige condições especiais de segurança e entretenimento”, afirma o diretor de Estudos e Pesquisas do MTur, José Francisco Lopes. Em todos os casos, segundo ele, o ideal é escolher voos diretos, sem conexões e evitar grandes deslocamentos terrestres.

Com crianças, o ideal é preferir hotéis que ofereçam atividades de recreação, quartos térreos ou com varandas fechadas, além de restaurantes com opções de pratos simples. O ideal é realizar o deslocamento em horários que interfiram pouco na rotina da criança. Se for de carro, com um número maior de paradas curtas, se for de avião e a distância longa, de preferência à  noite e sem escala.

Para as grávidas, no caso de viagem aérea, é preciso o apresentar, a partir do 7º mês de gestação, atestado médico autorizando a viagem e, a partir do 8º mês, atestado com destino e duração do voo. A grávida pode pedir assento especial para minimizar o desconforto do período de voo. Se o passeio for de ônibus ou carro, recomenda-se escolher os destinos mais próximos e com temperaturas amenas.

As pessoas com deficiência devem verificar se os meios de hospedagem são adequados às suas necessidades. Em viagens de ônibus, reservam-se dois assentos gratuitos para pessoas com deficiência. Caso os assentos estejam ocupados, o turista terá direito a um desconto mínimo de 50% para ocupar os demais lugares do ônibus. No transporte aéreo, é importante informar à companhia aérea o tipo de necessidade e levar atestado, já que as empresas aéreas podem limitar o número de passageiros especiais.

O turista cadeirante pode levar a cadeira de rodas na viagem, mas precisa informar a companhia sobre as dimensões do equipamento: altura, largura, peso, motorizada ou dobrável. Caso necessário, uma cadeira de rodas poderá ser fornecida gratuitamente no aeroporto até o embarque do passageiro.

Fonte Jornal Dia a Dia

Anúncios