Com síndrome rara, mulher tenta se amputar e deseja ser paraplégica

Fonte Portal Terra

Apesar de não ter nenhum problema nas pernas, uma americana optou por viver a vida de uma portadora de deficiência física. Chloe Jennings-White deseja tanto se movimentar sempre em uma cadeira de rodas que tenta há anos arrecadar dinheiro para pagar um médico que a torne paraplégica. Desde a infância, a americana tentou por diversas vezes se ferir o suficiente para paralisar permanentemente seus membros inferiores, mas nunca conseguiu. As informações são do Daily Mail.

O que define uma doença como rara? Entenda

Chloe, 58 anos, sofre da rara desordem de identidade da integridade corporal (DIIC), uma síndrome que faz o paciente querer amputar uma ou mais partes perfeitamente saudáveis do corpo. Em 2010, a americana encontrou uma médico que se prontificou a ajudar ela a se tornar uma deficiente física ao cortar seus nervos ciático e femoral ao preço de 16 mil euros.

“Pode ser que eu nunca consiga pagar por isso, mas eu sei, de verdade, que não vou me arrepender se um dia eu puder”, afirmou Chloe, uma pesquisadora da respeitada Universidade de Cambridge, no Reino Unido. Ela nasceu em Salt Lake City, no Estado americano de Utah, com o extremamente raro transtorno psiquiátrico que a faz querer ser amputada por opção. Os portadores da DIIC não aceitam um ou mais de seus membros, e desejam se livrar deles.

A cientista acredita que ambas as pernas não pertencem a ela e sonha em ficar paralítica da cintura para baixo. “Algo no meu cérebro me diz que minhas pernas não deveriam funcionar, afirma Chloe. “Ter qualquer sensação nelas simplesmente parece errado.”

 

 

Anúncios