700 deficientes físicos sofrem com a falta de acessibilidade em Dourado

8% da população do município possui alguma deficiência física, diz IBGE.

Índice é maior do que o encontrado nas quatro maiores cidades da região.

Do G1 São Carlos e Araraquara, onde você assiste o video da reportagem.

A falta de acessibilidade em Dourado (SP) prejudica os 700 moradores da cidade que são portadores de alguma deficiência física. Segundo o censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o número corresponde a 8% da população que atingiu 8,6 mil habitantes.

Apesar de ser pequeno, o município é, proporcionalmente, o que têm mais deficientes físicos na região. Esse índice é maior do que o encontrado nas quatro maiores cidades da região. Rio Claro possui 5,44%, São Carlos 6,40%, Araraquara 6,90% e São João da Boa Vista 6,95% dos habitantes com alguma deficiência física.

As dificuldades encontradas por deficientes físicos em uma cidade pequena não são diferentes das grandes. O empresário sul-africano que mora em Dourado Yani Kroger mora no Brasil há 16 anos e em 2011 descobriu que tinha uma doença autoimune, a síndrome de Guilhem Barre, que paralisa os nervos. De uma hora para outra, se viu preso em uma cadeira de rodas.

Com isso, a rotina de toda a família mudou. A casa espaçosa permite que ele circule com facilidade e as portas são mais largas para que ele passe sem problemas. Mas quando sai de casa, é inevitável se deparar com as dificuldades.

Cadeirante precisa de ajuda da família para subir nas calçadas de Dourado (Foto: Reginaldo dos Santos/EPTV)
Cadeirante precisa de ajuda da família para subir
nas calçadas (Foto: Reginaldo dos Santos/EPTV)

Para o empresário, andar sozinho pelas ruas da cidade é praticamente impossível. As calçadas não são rebaixadas e para subir, ele precisa da ajuda da família. Para para descer é outro sacrifício. A alternativa é usar as entradas das garagens, que não são adequadas para os cadeirantes.

Na cidade inteira, tem apenas dois locais com acesso correto. Um deles é a Praça da Prefeitura, entretanto, o prédio municipal não tem acesso para portadores de deficiência física.

O único prédio da cidade com rampa de acesso é a Igreja Matriz. “Onde quer que a gente vá, não tem rampa. Então a gente acaba nem saindo de casa, pois acaba tendo aquele transtorno todo e ficam todos irritados. Hoje eu percebo que, realmente, a cidade precisa de um investimento”, disse a psicóloga Lara dos Reis, esposa do empresário.

Prédio da Prefeitura com acessibilidade será entregue no próximo mês em Dourado (Foto: Reginaldo dos Santos/EPTV)
Diretor diz que Prefeitura com acessibilidade será
entregue (Foto: Reginaldo dos Santos/EPTV)

Novo Paço Municipal
O diretor de planejamento de Dourado, Luis Mário dos Santos, disse que no próximo mês, um novo prédio da Prefeitura será inaugurado. “Terá um elevador, pois são dois andares. Esse antigo prédio será reformado também, provavelmente como destino da nova Câmara Municipal e será acessível com certeza”, garantiu.

Santos também explicou que existe um projeto para fazer uma reforma das calçadas da cidade, orçado em R$ 500 mil. “A expectativa é de começar esses projetos, a partir do segundo semestre”, disse.

Apelo
Enquanto as promessas não saem do papel, os portadores de deficiência física do município continuam a pedir por melhorias. “Por favor, invistam na infraestrutura para pessoas debilitadas. Só isso, eu não quero mais nada”, apelou Kroger.

Anúncios