Meu pai diferente, Ser diferente é normal, por Geraldo Paiva Jr

Nossos colaboradores

Todos já me viram aqui falando da minha família, do orgulho que tenho deles e tudo que eles me ensinaram até chegar onde estou. Da importância dos meus irmãos e sobrinhos, mas hoje queria falar de alguém especial.

Do meu pai, que depois de criar três filhos quase na hora de se aposentar, embarcou na idéia de mais um filho. Minha mãe já era laqueada e o caçula da família tinha 8 anos. Ninguém mais esperava uma criança, mas para Deus a missão ainda não estava cumprida e chega mamãe com notícia, vamos ter mais um filho, minha chegada veio quase junto com a noticia, prematuro tive pressa para conhecer essa família linda.

Meu pai militar da aeronáutica, jeitão sério, como era essa turma logo se derreteu pela rapinha do tacho, e de presente o pequeno ganhou o mesmo nome do pai se não sobrevivesse seria a uma homenagem, mas como já contei tudo deu certo, e ai nasceu um pai diferente. um pai que  teve que  reaprender a ser pai, mas aprendeu com tamanha destreza que cuidava de mim como ninguém, não ligava se eram maçantes os plantões no aeroporto depois das manhãs me  acompanhando na fisioterapia,

Me levava para participar de tudo, da turma da pelada, das rodas de conversa , assistia formula 1 de madrugada comigo, inventava brinquedos para  mim, sempre foi  companheiro, não me deixava desistir quando as dores tomam conta, me carregava, enquanto minhas pernas não o podiam fazer. jogávamos bola, brincavamos,  momentos que talvez meus irmão não desfrutaram  por terem nascido em outra época, onde a farda e os compromissos diários sobrepunham os momentos com a família,.

O dia dos pais foi no domingo, mas o dia do meu pai são todos os dias, pois todos os dias ele me ensina  a ser diferente, e que ser diferente é normal, que  eu por isso sou único, diferente dos meus irmãos, sou o Geraldo Toledo de Paiva Junior.

Anúncios