Quando a perda vira arte, Ser diferente é fashion, por Mariana Silva

 umÉ verdade que a amputação de qualquer membro, seja uma perna ou um braço, é um momento difícil na vida. A princípio, pode significar a mudança radical da pessoa, além de provocar traumas que levam tempo para serem amenizados. Mas, como todas as situações difíceis, essa também pode ser enfrentada com mais leveza. Basta usar os artifícios certos.

Não faz muito tempo as próteses substitutivas buscavam imitar a parte do corpo perdida; eram cobertas com materiais que reproduziam toscamente a pele do paciente. Apesar dos esforços, era possível reconhecer a prótese de longe. Em outros casos, elas eram um emaranhado feio de estruturas metálicas sem qualquer tipo de cobertura. Nada de charme, apenas correção.

Foi pela necessidade de fazer próteses diferentes, que refletissem a personalidade das pessoas, que nasceu o “The Alternative Limb Project”, em tradução livre O projeto do Membro Alternativo. Idealizado pela artista plástica britânica Shopie de Oliveira Barata, a iniciativa transforma as já conhecidas próteses sem graça em verdadeiros objetos de arte.

No site é possível ver que já foram confeccionadas próteses de pernas encrustadas com cristais, outra pintada com lindas flores românticas, uma outra imitando a provável estrutura de um robô. Já para os braços, já foi confeccionada uma prótese que imitava a pele tatuada, outra que mais se parecia com uma joia, outro modelo acoplado á uma cobra realista.

Não conheço os pacientes ajudados pela iniciativa de Shopie, mas só de olhar esses trabalhos acredito que as próteses refletem a personalidade e os desejos de cada pessoa. Eles transformaram uma grande perda em arte pura, verdadeiros acessórios de moda. É preciso ter muita resiliência para conseguir superar esse tipo de perda, acredito que a autoestima ajude bastante.

E, se a nossa vida é uma superação após a outra, que façamos isso com pitadas generosas de beleza, arte, leveza e, claro, muita moda. Se você está passando por esse tipo de situação, mas ainda não se sente confortável para usar próteses tão estilosas, tudo bem. Existem hoje próteses super realistas capazes de imitar, até mesmo, rugas e unhas. Mas se cuide, se goste, não importa como. Porque, minha gente, se cuidar faz bem, esse é o segredo!

*Mariana Silva (Idealizadora do Blog http://naoesobremoda.wordpress.com, é colaboradora de http://www.tudobemserdiferente.com. Jornalista, 24 anos, nascida em Belo Horizonte, Minas Gerais. Para ela, moda é uma futilidade necessária e um fenômeno sociológico interessantíssimo; “o legal é quando fazemos a moda trabalhar a nosso favor, ficar dependente dela não faz bem”). Tem displasia Óssea, síndrome que afeta o crescimento e a resistência dos ossos de todo o corpo. Escreve Ser diferente é fashion para http://www.tudobemserdiferente.com toda quinta-feira. 

Anúncios