Nota da Apae de São Paulo sobre educação inclusiva e a polêmica que ronda as Apaes

Por Sônia Pessoa

Dia desses uma leitora me perguntou no Facebook a minha opinião sobre a existência ou não das Apaes e a polêmica que se forma por causa das diretrizes nacionais de educação que prevê a matrícula de todas as crianças em escolas regulares.

Acredito que a opção da escola deve ser preferencialmente pela escola regular, como definem as diretrizes. Por outro lado, entendo que serviços especializados, como os da Apae, devem continuar existindo já que muitas famílias dependem das atividades e terapias disponibilizadas por essas instituições para complementar o estudo regular dos filhos. Há ainda a situação de famílias, que me escrevem vez ou outra, cujos filhos têm deficiência intelectual grave e que não se adaptam nas escolas regulares por motivos diversos. Não podemos nos esquecer que serão necessários muitos ajustes para a educação inclusiva de fato, plena… Somos totalmente a favor dela, mas somos a fazer de reflexões e de planos de ação que levem a essa plenitude.

A seguir a nota da Apae de São Paulo, com a qual concordamos.

O apoio da Apae de São Paulo à educação inclusiva

Do Inclusão Já

Apae de São Paulo apoia a Educação Inclusiva

Posicionamento sobre educação inclusiva

A APAE DE SÃO PAULO esclarece que apoia a política oficial de educação no Brasil: a educação inclusiva. Com base nessa diretriz – na qual uma mesma escola recebe todos os alunos sem nenhum tipo de discriminação –, a Organização oferece, por meio de parceria com a Secretaria Municipal de Educação de São Paulo (SP) o Atendimento Educacional Especializado para jovens de 4 a 17 anos, matriculados em classe comum da rede regular de ensino, com o objetivo de criar condições mais favoráveis para aprendizagem formal desses estudantes.

Em mais de 10 anos de trabalho fundamentado na educação inclusiva, a APAE DE SÃO PAULO tem garantido o desenvolvimento efetivo para crianças e adolescentes com deficiência intelectual, apoiando-os na socialização; o fim da discriminação; e melhora da aprendizagem formal.

Com relação à divergência entre as mais de 2.100 APAES no país, a APAE DE SÃO PAULO respeita as distintas opiniões entre as organizações, uma vez que a educação inclusiva ainda está se consolidando e é natural que o debate apresente opiniões diferentes.

 

Anúncios