Apae utiliza game para tratamento de crianças com Síndrome de Down

Jogo ‘Dance2Rehab’ estimula aspectos motores e cognitivos.

Apae de Joinville será modelo para a implantação e testes do projeto.

Jogo visa estimular aspectos motores e cognitivos dos pacientes. (Foto: Vitor Forcellini/Udesc)Jogo visa estimular aspectos motores e cognitivos dos pacientes. (Foto: Vitor Forcellini/Udesc)

O game ‘Dance2Rehab’, desenvolvido por alunos do Laboratório de Pesquisas em Aplicações Visuais (Larva) do Departamento de Ciência da Computação da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc), será utilizado no atendimento de crianças com Síndrome de Down da Associação dos Pais e Amigo dos Excepcionais (Apae) de Joinville, no Norte de Santa Catarina. O principal objetivo do jogo é estimular aspectos motores e cognitivos dos pacientes.

Estudante Emanuel Farias, presidente da Apae, Heloisa de Oliveira e o professor Marcelo Hounsell  (Foto: Vitor Forcellini/Udesc)Estudante Emanuel Farias, presidente da Apae,
Heloisa de Oliveira e o professor Marcelo Hounsell
(Foto: Vitor Forcellini/Udesc)

Segundo o professor Marcelo Hounsell, que participou da elaboração do projeto, a expectativa é que a Apae sirva de modelo e que outras associações tenham os benefícios da tecnologia na reabilitação virtual.

Para a diretora da Apae de Joinville, Heloisa Walter de Oliveira, o jogo de computador será um aliado no tratamento e atendimento das crianças que frequentam a unidade educacional. “Montamos uma nova sala para fazer este atendimento diferenciado e as cuidadoras já estão empolgadas com a novidade”, elogiou a diretora.

Além do ‘Dance2Rehab’ para crianças com Síndrome de Down, os acadêmicos do laboratório da Udesc já criaram games e aplicativos para auxiliar pessoas com Alzheimer e pacientes que já tiveram Acidente Vascular Cerebral (AVC).

Anúncios