Regional Noroeste de BH promove oficinas para fortalecer vínculos familiares de crianças com deficiência

Fonte: PBH

A Regional Noroeste, por meio do Serviço de Proteção Social à Pessoa com Deficiência (SPSPD), vinculado à Gerência Regional de Políticas Sociais, se prepara para realizar mais uma intervenção com ações coletivas, que ocorrem semestralmente e contemplam todas as famílias inseridas na Mala de Recursos, ação executada pelo educador social/brincante com o objetivo de trabalhar e estimular as habilidades e potencialidades lúdicas de crianças e adolescentes com deficiência. Na última edição das atividades, realizada no primeiro trimestre deste ano, as famílias participaram de uma visita monitorada ao Jardim Zoológico e tiveram a oportunidade de conhecer algumas das várias atrações que existem no local, como o borboletário, que possui mais de 2 mil espécies de insetos, o Jardim Japonês e o maior aquário temático de água doce do Brasil, o primeiro a retratar exclusivamente a vida na bacia do rio São Francisco.

                As atividades, que levam o nome de Oficina do Brincar, visam fortalecer os vínculos interacionais com a família, extremamente importante nesse processo, seja na visita domiciliar do brincante, seja na atividade coletiva, entre outras identificadas e acompanhadas pelo serviço. Essas atividades coletivas reúnem as famílias para um momento de socialização, bem como fortalece os vínculos familiares e comunitários, em um contexto lúdico e de caráter reflexivo a partir de intervenções que perpassem pela proposta do brincar.  A próxima oficina abordará a temática “A Magia da Pintura”, e está agendada para o dia 18, quarta-feira, às 13h30, no andar pilotis do prédio da Regional Noroeste (rua Peçanha, 144, bairro Carlos Prates). São esperadas 24 famílias para o momento principal, que é a construção do produto a ser realizado pelos participantes em uma oficina de pintura.

De acordo com Kênia Daisy, assistente social e uma das técnicas do serviço na regional, essa será a quarta Oficina do Brincar a ser realizada pela SPSPD. Em experiências anteriores houve adesão satisfatória e sucesso na evolução da atividade. “Esse é um dos momentos em que pessoas comprometidas por alguma deficiência se veem com maior autonomia e poder de realização. É necessário dar a essas pessoas a oportunidade de participação e estímulo de suas capacidades, reconhecendo suas limitações e, principalmente, valorizando suas potencialidades e seu direito à socialização”, disse.

Ainda de acordo com Kênia, o SPSPD visa fortalecer o processo de inclusão social da pessoa com deficiência e de suas famílias, por meio de acompanhamento sócio-familiar, de articulação com a rede de serviços e sensibilização dos profissionais. Integra o Sistema Único de Assistência Social (Suas) / Proteção Social Básica, atuando na perspectiva da prevenção junto às famílias identificadas.

 

 

 

Anúncios