Como se concentrar e evitar dispersão em tempos de redes sociais?

DISCIPLINA É FUNDAMENTAL NA HORA DE ESTUDAR

       

Fonte Caderno de Educação  

Passada as férias, agora é a hora em que a maioria dos estudantes começa a sentir mais a pressão para estudar para os vestibulares individuais e para o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), que é selecionador para as universidades federais. Este ano as provas acontecem dias 26 e 27 de outubro e já foi amplamente divulgado que a correção da redação vai ser mais rigorosa.

Faltando dois meses para o exame, essa é a hora de reforçar o estudo para não se estressar nos últimos dias. E para isso, o mais importante é a concentração. Para muitos jovens bate uma espécie de desespero, de não saber como estudar, por onde começar e com se concentrar. O sentimento pode ser apenas resultado da ansiedade ou pode estar ligada a alguma patologia. Mas se bem cuidado, qualquer problema pode ser solucionado.

Para  ajudar você, o Caderno de Educação entrevistou a  Dra. Alessandra Elisa Soares, especialista em Psicopedagogia Clínica, Psicopatologia e Neuropsicologia, autora do livro “Neuropsicologia Para o Novo Milênio”, que é um verdadeiro manual  de como identificar sinais de psicopatologias como TDHA, dislexia, discalculia, entre outros, que afetam muito a vidas das pessoas, especialmente dos jovens.

A seguir, a entrevista com a Dra. Alessandra

Caderno de Educação –  Como trabalhar a concentração para os estudos numa época em que há várias distrações ao mesmo tempo: twitter, facebook, celular, TV, game…

Dra.Alessandra Elisa Soares – O importante é o jovem se programar, organizando o seu tempo, ou seja fazendo um cronograma com horários de estudo, lembrando que não é eficaz ficar longo período estudando. É essencial fazer intervalos para descanso.

Antes de iniciar o estudo diário, preferir local sem movimentação, sem barulho, com uma boa iluminação e o mais importante, não levar consigo celular, pois com certeza ficará atento às mensagens que receberá, ligações, atualizações do Facebook, etc.

Se o jovem ficar apenas lendo o conteúdo, também poderá ocorrer distrações por isso é importante escrever a mão, fazer anotações enquanto estuda e evitar digitar, pois a escrita a mão ativa mais redes neurais.

Quando for iniciar o cronograma de estudo, reserve 2 horas, e depois vá aumentando gradativamente até 5 horas de estudo por dia.

Aconselho sempre o jovem a prestar a atenção na alimentação, que deve ser saudável, ter boas horas de sono e praticar algum esporte, pois o exercício físico também contribui na oxigenação do cérebro,  além de ser um meio de aliviar o estresse.

 CE – Quando se deve começar a trabalhar a concentração e como fazer? Em geral, a falta de concentração começa na infância, mas prejudica na faculdade e no trabalho. Está correto? Por quê?

Dra. Alessandra – A falta de concentração pode ser provocada por fatores motivacionais ou orgânicos, como fome, sono, preocupação, estresse…. Em alguns casos se inicia desde a educação infantil e é considerada um Transtorno de acordo com a Classificação Internacional de Doenças: o TDAH, que é causado por alterações em áreas específicas do cérebro: frontal e pré-frontal. Esse transtorno altera o  funcionamento de um sistema de substâncias químicas, os neurotransmissores, principalmente dopamina e noradrenalina.

CE –  Muitos jovens chegam  nessa época pré-vestibular com a pressão de ter que estudar e não saber como. O que fazer?

Dra. Alessandra – Em primeiro lugar, se organizar, dividindo o tempo disponível estudando em casa e tirando dúvidas na aula. O conteúdo avaliado no vestibular e Enem é o mesmo desenvolvido no ensino médio. Dependendo do colégio, o terceiro ano acaba tendo uma revisão no segundo semestre.

O aluno tem que estar ciente de que deverá estudar no colégio e também em casa. A disciplina é fundamental.

CE – Que técnicas ou orientações podemos dar para quem precisa apreender a se concentrar?

Dra Alessandra – Para se concentrar, o cérebro passa por um processo. A primeira função a ser ativada é a de ALERTA, que nos mantêm atentos. Em seguida ativamos a função de ORIENTAÇÃO, que propicia o foco na informação escolhida no momento. Por último a ATENÇÃO EXECUTIVA, que é responsável em regular a habilidade de prestar a atenção em algum estímulo que escolhemos a longo prazo, ignorando qualquer distração concorrente.

Esse processo atencional de longo prazo tem a duração de 45 minutos a uma hora. A maioria dos estudantes não consegue focar em um assunto apenas por um período maior que este, por isso considero importante a pausa durante os estudos.

Em casa sugiro o treino de atenção durante a leitura iniciando com 15 minutos e ir aumentando ate conseguir se concentrar por 45 minutos.

CE –  Essas pessoas têm consciência dessa dificuldade de concentração para estudar ou para realizar algum trabalho?

Dra.Alessandra – Geralmente quando adolescentes sentem que possuem dificuldades sim,  pois é comum iniciar atividades e não conseguir concluí-las. Eles sentem dificuldades para se organizar com agendas e não conseguem ficar muito tempo focado em um estímulo somente.

CE –  Toda falta de concentração é um Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH)? Toda falta de concentração precisa ser tratada, por exemplo, com medicamentos?

Dra.Alessandra –  Ninguém “fica com déficit de atenção – TDAH”. Geralmente a pessoa nasce com déficit de atenção e ocorre a evolução crescente da psicopatologia, mas tudo vai depender do estilo de vida, alimentação, diagnóstico precoce, etc.

É muito importante uma avaliação do quadro e em alguns casos é necessário intervenção medicamentosa como por exemplo metilfenidato (estimulante). Há também outras terapias alternativas que propiciam a melhoria da qualidade de vida.

O mais importante é a família e a escola prestarem atenção quando há algum desvio de normalidade para que seja feito o encaminhamento a um profissional o quanto antes. O diagnóstico precoce é a melhor alternativa.

Leia mais: http://www.cadernodeeducacao.com.br/news/disciplina-e-fundamental-na-hora-de-estudar/

Anúncios