Fim de semestre ? Monte um bom Plano de Estudos!

cristina 2Por Cristina Silveira*

O fim do ano está chegando e com ele o fim do período escolar.  Muitas famílias não se dão conta desse fato, até que são surpreendidas com o boletim escolar.  Então é aquele corre-corre em busca de professores particulares e psicopedagogas a fim de recuperar o que, em sua concepção, não pode ser perdido: o ano escolar.

Resolvi escrever esse artigo como um alerta para todas essas famílias, que durante todo o ano não se atentam para a vida escolar de seus filhos e na última hora, desejam com todas as forças que um milagre aconteça.

Para essas famílias e algumas escolas que também se esquivam de dar o alerta, vou contar um segredinho: existe o “Planejamento de Estudos” !  Basta elaborar um bom roteiro de suas atividades e respeitar esse planejamento.

Mas como se faz isso?

Para atualizar o conteúdo das matérias, sem perder noites de sono e nem mesmo ficar em casa nos finais de semana, basta seguir algumas dicas:

– Procure um local calmo, que não tenha distratores, para estudar: longe de rádio, tvs ou computadores.

– A iluminação do local e os móveis (mesa e cadeira) adequados são necessários, para que se mantenha a postura correta.

– Vontade de aprender é imprescindível! Isto decidido, vamos partir para a produção, estabelecendo prioridades para o cérebro.

– Realizar um plano que seja coerente com o ritmo da criança. Ou seja, planejar o inicio do estudo muito cedo, pode não render e baixar a auto-estima da criança, que não conseguirá cumprir o planejamento.

– Não caia na tentação de adiar nada planejado, porque as tarefas se acumulam, e fica impossível dar conta de tudo!

– Ordenar as tarefas de acordo com os prazos. Lembre-se que estamos em outubro!

– Reorganizar as atividades em novos horários e dedicar algumas horas nos finais de semana pode render boa aprendizagem.

– Elaborar pesquisas e trabalhos mais fáceis inicialmente, para depois realizar as tarefas consideradas mais difíceis.

– Pergunte sempre que tiver dúvidas a quem realmente sabe o conteúdo.

– Elaborar um plano de estudos semanal, organizando os conteúdos que serão estudados.

– Não deixar as lições de casa para o dia posterior, aproveitando que o conteúdo ainda está “fresco” na mente.

– O estudo pode ser realizado em dois ou três períodos de 2 horas no decorrer do dia. Mais do que isso pode levar a uma fadiga mental.

–  Monte uma tabela semelhante ao horário escolar. Marque em cada dia as disciplinas que irá estudar e, conforme a matéria é dada na sala de aula, vá detalhando os conteúdos ou as metas numa tabela ou quadro afixado.

– Intercale as matérias preferidas com as que não gosta. Evite, por exemplo, estudar Matemática e Física em seguida, já que as duas exigem cálculos.

– Tique na tabela cada tarefa realizada. O que não foi feito no período determinado deve ser realizado em um horário extra na próxima semana. Deixe períodos livres para eventuais reposições,  mas evite sempre postergar as tarefas.

– Para treinar interpretação de texto:

– Ler algo compreendendo com clareza seu conteúdo nem sempre é uma tarefa fácil e depende muito da prática. Não se consegue aprender a ler às vésperas de uma prova, é preciso adquirir o hábito, mesmo que isso seja feito com livros que não tenham relação direta com os assuntos vistos nas aulas.

– Os rabiscos: vá destacando com caneta colorida ou marcador de texto as palavras-chave. Se preferir, escreva ao lado de cada parágrafo a idéia principal. Isso facilita a compreensão e o trabalho na hora de rever o assunto.

-A interpretação: durante a leitura, relacione e compare as novas informações com o que você já conhecia sobre o tema. O autor pode estar contrariando ou acrescentando algo à informação que você já possui. Pode também estar defendendo uma teoria incorreta. Nunca renuncie ao senso crítico.

– A síntese: faça um fichamento de cada capítulo, artigo ou livro lido. Anote em fichas de papel, ou num caderno, o título, o autor, a editora ou a fonte, data da publicação e a página. Depois, relate por escrito o que você compreendeu em um resumo. Consulte-o sempre que precisar retornar ao assunto.

 

Outras maneiras de estudar:

–  Pesquisar sempre,  buscando diferentes referências, como revistas, jornais, filmes entre outros, para realizar a atividade que foi proposta.

– Refazer os exercícios que errou ou apresentou dificuldades;

– Descobrir as melhores técnicas de memorização para estudar (esquemas, falar em voz alta, dramatizar, estudar em grupos, entre outros).

– Reconhecer as áreas que apresenta dificuldade, dedicando um tempo maior de estudo;

– Preparar o material escolar antecipadamente, verificando os livros e cadernos que irá utilizar.

 

Para a família:

– Envolver na vida escolar do filho. Perguntar a ele o que aprendeu e como isso pode ser importante na vida dele.

– Mostrar para seu filho que ele é capaz de solucionar problemas, dando a ele a capacidade de buscar sua independência.

– Não pressionar nos estudos, fiscalização intensa não funciona. Ensine a ter responsabilidade, pois seu filho não o terá pelo resto da vida.

– Antes de recorrer a aulas de reforço escolar, veja se a criança ou adolescente é capaz de superar a deficiência sozinho.

– Senão, busque orientação de um psicopedagogo para montar o plano de estudos de seu filho.

Boa sorte!

* Cristina Silveira é psicanalista, psicopedagoga e educadora, especialista em neuropsicopedagogia, arte-terapia e psicologia do trabalho. Tem formação em educação inclusiva (TDAH, autismo, Síndrome de Down) e atualização em artes plásticas e saúde mental. Idealizadora do Movimento Resgatando a Infância.

Anúncios