Acorda princesa, uma reflexão de Tina Descolada, por Marta Anísia Alencar

Marta-1-2

A artista chinesa Jennifer Wen Ma, criou uma obra que se chama ̈Ilha do Encantamento ̈. Uma ilha imaginária onde as plantas, pintadas com tinta nanquim preta, ficaram impossibilitadas de realizarem a fotossíntese após serem recobertas com o pigmento. As plantas “sufocadas” tem urgência de sobreviver e, com um esforço espetacular, brotam verdes e potentes em meio às folhas negras. “Essa ilha sugere uma utopia invertida, onde a superação da suprema dificuldade nos torna felizes e fortes novamente”.

A visita a essa obra fez-me refletir sobre a vida. Está na natureza dos seres vivos o instinto de sobrevivência e da busca pelo bem estar. Independente da nossa condição, é necessário assumir a direção de nossa própria vida, mobilizar nossas forças internas e externas para buscar os nossos direitos de igualdade de oportunidades como as demais pessoas.

Como disse minha amiga Laura Martins que, como eu, usa cadeira de rodas: ̈Penso que o que leva as pessoas a superar traumas ou limitações é, antes de tudo, sair da posição de vítima. Apesar da deficiência não somos vítimas da vida. É assumindo o protagonismo que vamos alcançar as metas traçadas, com base no que é importante para a pessoa integral que somos ̈.

Sabem um conto de fadas que não aconselho? A bela adormecida.
“A princesa não precisa fazer nada por si mesma – apenas espera dormindo que um príncipe a acorde com um beijo.” É uma personagem que favorece o comportamento antirresiliente.
É preciso intervir e mudar a realidade que nos impossibilita de realizar nossos desejos.

* Marta Alencar, psicóloga clinica, fotografa e empreendedora social – www.altaestima.org . Idealizou a personagem Tina descolada http://www.tinadescolada.com. Assina a coluna: Tina descolada – agente de inclusão, publicada toda terça feira em http://www.tudobemserdiferente.com

* * As opiniões aqui publicadas são de responsabilidade da colunista.

Marta-1

Anúncios