Entrevista, vida inclusiva e personagens diferentes: Sobre Rodas, por Ricardo Albino

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

LUZ, CÂMERA E INCLUSÃO

Depois de um fim de semana agitado e emocionante, com a visita ao Mineirão e um belo show da cantora Marisa Monte, na terça-feira, 5/11, foi a vez de aparecer na telinha; participei do Programa Brasil das Gerais, da Rede Minas de Televisão. Fazia tempo que eu tinha dado minha última entrevista, se não me engano, ainda nos tempos de Faculdade. Confesso que fiquei um pouco preocupado com medo da voz me trair e da cabeça ficar torta. Tenho uma amiga que brincou dizendo: “você vai ficar dez, a Globo vai achar o novo galã das novelas”.

Foi muito legal! Antes mesmo de o Programa ir ao ar, enquanto aguardávamos a chegada da apresentadora, batemos um papo engraçado e inclusivo; cada um de nós, um grupo de quatro, conhecendo um pouco da trajetória de vida do outro. Um professor universitário e dançarino que há dez anos aprendeu a enxergar a vida de dentro pra fora, um futuro advogado que, sem braços e pernas, ensina através de suas palestras que todos nós podemos voar, cada um ao seu jeito e ao seu tempo, um atleta, colecionador de títulos e medalhas, lutador de TAE KWON-DO que vence os adversários até mesmo quando perde suas próteses no meio da luta e um jornalista com alma de passarinho.

Papo vai, papo vem e, de repente, da porta do estúdio a apresentadora diz: “Olha, meus meninos já estão aí”. Foi o que a gente precisava para quebrar o gelo. No ar, parecia que o Programa estava sendo feito no quintal de casa. A conversa sobre superação acabou se transformando, quase, em uma palestra motivacional transmitida pela TV. Todos, de certa forma, aproveitamos a oportunidade para lembrar e agradecer aos nossos anjos da guarda.

O interessante foi que a pauta construída a partir das redes sociais levou para frente das câmeras exemplos diferentes e mostrou, ao vivo e a cores,  que a superação nasce da motivação e o bom humor é o primeiro passo para fazer das dificuldades um caminho cada vez mais leve de se seguir. Assim como a deficiência, a eficiência também está nos olhos de quem vê, portanto, caro leitor, tente fazer de cada dia um programa de TV, porém, com as câmeras desligadas. Jogue a luz dos holofotes na direção do seu objetivo. Deixe as câmeras dos olhos filmarem as coisas boas da vida e faça da inclusão um campeão de audiência na TV do coração.

 

Ricardo Albino, jornalista, Coluna Sobre Rodas / Tudo Bem Ser Diferente / ricjornalista@hotmail.com / http:// HYPERLINK “http://ricardo-albino.blogspot.com.br

As opiniões aqui publicadas são de responsabilidade do colunista.

Fotos de arquivo pessoal

Anúncios