Jovem surdo se forma em curso superior com auxílio de intérprete

Gabriel Lima, de 21 anos, conseguiu concluir o curso de Informática.

Aos três meses, ele teve uma parada respiratória e perdeu a audição.

Um jovem surdo-mudo de 21 anos conseguiu terminar o curso técnico de Informática com a ajuda de um intérprete da língua brasileira de sinais. O profissional foi contratado pelo Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC), campus de Lages, na Serra, para facilitar a comunicação do aluno com o professor (veja vídeo).

“Foi uma experiência bem interessante, porque a língua de sinais é mais visual e a informática, esse mundo virtual, é mais abstrata. Então, chega um determinado momento que você precisa de ajuda, de recursos. Desenvolvemos uma estrutura baseada numa parceria que eliminou qualquer tipo de barreira para o desenvolvimento dele”, explicou o intérprete João Branco.

Aos três meses de vida, Gabriel da Silva Lima teve uma parada respiratória, que causou a perda da audição. Ele começou o curso há dois anos e, em pouco tempo na sala de aula, conseguiu mostrar aos professores que tinha bastante vontade de trabalhar com programação de computadores.

“A gente conseguiu fazer um trabalho para que o Gabriel pudesse absorver ao máximo os conteúdos com atividades práticas relacionadas à teoria, o que resultou em pontos bem positivos. Ele conseguiu acompanhar os conteúdos e as disciplinas”, disse o professor Marcos Pisching.

Primeiro emprego
Há pouco mais de um mês, Gabriel está trabalhando em uma empresa especializada no setor de denvolvimento de softwares voltados para documentos eletrônicos. Ele atua como assistente de projetos e, no local, tem um colega que o ajuda nas tarefas. “Ele tem demonstrado bastante desenvoltura no trabalho”, disse Hemerson Schenato, que está na mesma função.

De acordo com Rosane Alves, coordenadora de gestão de pessoas, o tratamento dado a Gabriel é o mesmo para todos os funcionários da empresa. “Ele tem os mesmos direitos, os mesmos deveres e as mesmas obrigações”, comentou.

Ao ver o filho no mercado de trabalho, o pai se mostrou orgulhoso. “O primeiro emprego do meu filho é o meu maior orgulho. A inclusão social está sendo muito importante para ele”, destacou Dorival da Silva Lima.

Anúncios