Tina Descolada invade o imaginário de crianças na praia, por Marta Alencar

IMG_8980

Catadores de conchas ou
Tina descolada, invasora do imaginário?

Era um final de tarde na praia de Ponta Verde em Maceió, e estava aproveitando a bela luz para capturar umas imagens a fim de alimentar a vida da Tina. Concentrada para não errar o foco, escuto várias vozes infantis: …“ela tá na cadeira de rodas!” …” ela não anda? ” “por que ela não anda? “ela é linda!”

… Intrigada, voltei para as vozes que eclodiam de uma roda viva de mentes curiosas que procuravam codificar aquilo que viam ali.
Parei de fotografar por um tempo me dispondo a saciar a curiosidade daquelas crianças.

Após uns minutos de conversa, um menino de aproximadamente 12 anos, que parecia o mais velho do grupo, pegou uma conchinha na praia e me entregou dizendo: “É para a Tina levar e nunca se esquecer de mim!“. Me emocionei naturalmente com a atitude daquele menino e o elogiei.
Logo depois, o que se viu, foi um batalhão de crianças, todas em busca de conchas para que a Tina jamais se esquecesse delas.

_MG_8928

O imaginário é parte inseparável da existência humana. Está presente em todos os lugares, em todas as nossas atividades.
Somos um ser simbólico!

Desde os primórdios, somos inseridos em um mundo de imagens multifacetadas, reais ou surreais, e vamos, aos poucos, elegendo estímulos com os quais nos identificamos, moldando assim nossa tela mental.

A vulnerabilidade do imaginário infantil o coloca numa condição que possibilita a interferência de qualquer elemento que alcance o seu universo. Se inserido em uma condição propícia a um desenvolvimento com valores inclusivistas (respeito à diversidade, coparticipação, igualdade de direitos, tolerância às diferenças, solidariedade e responsabilidade social) essa condição prevalecerá em sua vida adulta.

Eu e a Tina trouxemos apenas a lembrança das crianças. Foco na dica do Ministério do Meio Ambiente:
“Conchas, corais, estrelas do mar e outras carapaças servem de abrigo ou substrato para outros organismos marinhos, portanto não colete esses materiais”

_MG_0842

* Por Marta Alencar, psicóloga clinica, fotografa e empreendedora social –

http://www.altaestima.org – Iedealizou a personagem Tina descolada – http://www.tinadescolada.com Assina a coluna: Tina descolada – agente de inclusão, publicada as terças feiras em http://www.tudobemserdiferente.com

** As opiniões aqui publicadas são de responsabilidade da colunista.

page3image3720 page3image3880 page3image4040

Anúncios