Crianças com deficiência sonham em participar de Paralimpíada

07/05/2014 – 23:28

Jornal A Cidade – Jessica Lima / Ribeirão Preto

F.L. Piton / A Cidade

Ana Paula diz que sonha em ser uma grande corredora, mas nesta quarta-feira, mesmo com as limitações físicas, brilhou no salto em distância; clique para abrir galeria (Foto: F.L. Piton / A Cidade)

 

“O meu sonho é ser campeã de corrida e aparecer na televisão.” Essas são as palavras de Ana Paula Souza Silva, uma garota de 12 anos que mora em Igaraçu do Tietê (183 km de Ribeirão Preto), e tem deficiência intelectual. Ela e outros alunos, com faixa etária entre 12 e 17 anos, de diversas cidades da região, portadores de deficiência física, visual ou intelectual, participaram dos Jogos Escolares do Estado de São Paulo na manhã desta quarta-feira (7), no Centro Olímpico Maria Zeferina Rodrigues Baldaia, em Sertãozinho.

Veja galeria de fotos

Segundo a Secretaria dos Direitos da Pessoa com Deficiência Física, os jogos são o requisito básico para quem tem interesse em competir nas Paralimpíadas Escolares 2014. Porém, os resultados parecem ser o menos importante para as crianças.

“Estou participando da seleção pela primeira vez e estou muito feliz. Apesar de também praticar basquete e tênis de mesa, o meu grande sonho é ser corredora, assim como minha tia era. A diferença é que ela desistiu, e eu nunca vou desistir”, diz Ana Paula.

O professor de educação física da jovem, Fernando Borgo, 50, disse que ela é muito esforçada. “Ela não falta às aulas.”

O cadeirante Renato Gabriel Reis da Silva, de 15 anos, mora em Lençóis Paulista e se sente empolgado. “Faço aulas de atletismo e natação há dois anos. Me interessei por esportes quando vi na televisão e me senti inspirado”, falou.

O jovem revela que muitas coisas melhoraram depois que começou a praticar esportes. “Comecei a me desenvolver melhor, a crescer mais. Quero ser um atleta.”

Paralimpíadas ocorrem no fim do ano

As Paralímpiadas Escolares, realizadas pelo governo do Estado, são destinadas a todos os alunos matriculados em escolas públicas e privadas.

As modalidades competidas são atletismo, natação, bocha, futebol de cinco, futebol de sete, goalball, judô, tênis de mesa, tênis em cadeira de rodas e vôlei sentado.

De acordo com Sérgio Gatto, representante da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, as seletivas regionais deste ano já ocorreram em Prudente, São José do Rio Preto e Sertãozinho e será, na próxima semana, em São Paulo.

F.L. Piton / A Cidade

Muitas crianças não tinham nem tênis para competir; clique para abrir galeria (Foto: F.L. Piton / A Cidade)

“Depois é feita uma planilha que hierarquiza a pontuação de todos os alunos que participaram. Os alunos que realizaram as provas em menos tempo, de acordo com sua deficiência e categoria, são classificados para as Paralimpíadas Escolares 2014”, explicou o representante.

A Etapa Nacional das Paralimpíadas Escolares acontece de 24 a 29 de novembro, em São Paulo. Para a secretaria, o evento busca revelar possíveis atletas para representar o Brasil nas Paralimpíadas de 2016.

Veterana na competição e na dança

A jovem Raissa Simões Bispo de Amorim, de 14 anos, saiu de Bebedouro para participar das provas. Ela, que tem deficiência visual, conta que é a terceira vez que participa.

“Nosso professor de educação física nos chamou para a competição e eu topei. Agora, todo o ano participo. Este ano estou na modalidade de atletismo, na prova de corrida, que eu gosto muito”, falou.

Raissa começou praticando balé, aos 9 anos. “Como tenho 10% da visão, eu conseguia assistir a alguns filmes de balé. Fui gostando e resolvi que me tornaria uma grande bailarina. Fui convidada a entrar em uma academia de dança e comecei as aulas”, disse. Ela também faz, há dois anos, aulas de sapateado.

Anúncios