Tecnologia para deficiência auditiva avalia problemas linguísticos

Tecnologia para pessoas com deficiência auditiva 

Empresa de Itajubá desenvolve, com o apoio do Sebrae, plataforma web de testes para avaliação e diagnóstico de problemas linguísticos

A Incluir Tecnologia, empresa de soluções em tecnologia para portadores de deficiência, de Itajubá, Minas Gerais, está dando uma importante contribuição para o tratamento de pessoas com dificuldade de audição. A empresa desenvolveu, com o apoio do Sebrae, uma plataforma web de testes de linguagem baseados na Língua Brasileira de Sinais (Libras), para avaliar o desenvolvimento de habilidades linguísticas e o aprendizado da língua.

O objetivo, segundo o sócio-diretor da empresa, Fernando Freitas, é facilitar a avaliação do uso da língua de sinais por deficientes auditivos, com ou sem problemas de linguagem. “São testes que analisam aspectos neurolinguísticos que influenciam diretamente na habilidade de leitura e escrita”, explica. A ideia surgiu ao observar como eram aplicados os testes. “Os pacientes assistiam a vídeos e imagens que eram passados de forma manual no computador, e os diagnósticos eram escritos à mão”, conta.

Com a plataforma, chamada Linintec (www.linintec.com.br), as imagens são passadas de maneira automática e os profissionais podem ter as informações armazenadas em um banco de dados para futuras análises, ou seja, todo o processo é automatizado. “Ela funciona de forma dinâmica, por meio de uma tecnologia que permite que o aplicador do teste controle o que o paciente está vendo na tela. Além disso, um relatório com o diagnóstico é gerado ao final do teste”, acrescenta Fernando.

A plataforma é destinada a profissionais da área da saúde e da educação, como fonoaudiólogos, psicólogos e psicopedagogos, e contribui com a organização do diagnóstico e avaliação dos pacientes. A previsão é que o lançamento seja em outubro. “Com essa plataforma, os profissionais poderão oferecer aos pacientes o tratamento que eles precisam, o que antes não acontecia, pois sem uma avaliação adequada, não há como tratar”, destaca Fernando. Para os deficientes auditivos, a plataforma representa um avanço, visto que se trata de um serviço totalmente baseado na língua de sinais, o que antes não se encontrava no mercado.

USP e Sebraetec

A plataforma Linintec foi desenvolvida em parceria com a Universidade de São Paulo (USP) e com o apoio do Sebraetec, programa que visa incentivar as micro e pequenas empresas a investirem em inovação. Foram R$40 mil em recursos destinados pelo programa. “O apoio foi fundamental para o desenvolvimento da plataforma, pois colaborou com a transformação de uma ideia em um projeto real, que poderá impactar a vida de muitas pessoas que até então não tinham diagnósticos de problemas linguísticos”, reforça o diretor. O projeto da plataforma ganhou o 3º lugar na Olimpíada USP de Inovação, categoria Empresa Nascente.

 

Anúncios