Eleições: momento de reflexão para as famílias de pessoas com deficiência

Pais de Pessoas com Deficiência e as eleições

*Carlos Wagner Jota Guedes

 

O Superior Tribunal Eleitoral vem emplacando uma propaganda em que afirma que a eleição é a grande festa da Democracia. Não é nada disso. A grande festa da Democracia acontece todos os dias em que os direitos de todos existirem com dignidade acontecem. Se a existência não ocorre com dignidade não há festa da Democracia. As eleições são um dia desta festa.

 

O que temos nós, pais de crianças com deficiência com isso? Tudo, aos meus olhos. Além de lutarmos dia após dia para que nossos filhos tenham reabilitação digna, educação de qualidade, lazer igualitário entre tantas outras coisas, temos agora a chance de discutir que país queremos para nós, para nossos filhos e para outras tantas minorias que nos acompanham dia-a-dia por reconhecimento. Não vou dizer aqui em qual candidato votar, essa escolha é livre, mas faço 6 perguntas que acredito importantes para a escolha do candidato. As perguntas são universais, embora sua aplicação tenha relação com o tipo de lugar que cada um pretende ocupar.

 

1ª) Candidato, você defende os direitos humanos? Você tem na sua campanha algo que nos remeta concretamente à dignidade humana independente de gênero, orientação sexual, deficiência, raça/cor, da condição de ser condenado em crime. Lembre-se nossa luta por dignidade é uma luta de direitos humanos;

2º) Candidato, qual a sua compreensão do espaço urbano? Como fazer para que todos os cidadãos possam ocupar as cidades com qualidade? Como o seu projeto de candidato opera este debate?

 

3º) Candidato, qual o papel da escola para você? Ela deve ser inclusiva? Como fazer para melhorar a escola que temos hoje? (Se vier por a culpa de tudo que ocorre na educação nas costas dos professores discuta com ele as condições de vida dos professores).Há em seu projeto de candidato uma proposta concreta para a educação? Qual é?

 

4º) Candidato, qual o tipo e o papel que o Estado deve ter? Qual a relação dele com o mercado, com as experiências religiosas, com a sociedade civil? Como este Estado realiza-se nas suas propostas?

 

5º) Candidato, você tem cavaletes nas ruas? Você sabe que isso atrapalha a mobilidade das pessoas com deficiência? Se você tem cavaletes nas ruas, você vai retirá-los depois que te disse que eles atrapalham a mobilidade das pessoas com deficiência?

É por aí, apenas algumas inquietações que sempre me acompanham neste contexto. Vamos debatendo, e lutando por Justiça porque é assim que se faz a grande festa da Democracia.

 

*Carlos Wagner é graduado em Ciências Sociais e mestre em Sociologia. É entre outras coisas pai do João, uma criança de 6 anos, que nasceu prematura e que teve hemorragia nas veias que irrigam o cérebro. Hoje ele estuda numa escola regular, usa a cadeira de rodas para se deslocar e é uma criança vivíssima. Assina a Coluna Papo de Pai, publicada de 15 em 15 dias em http://www.tudobemserdiferente.com

** As opiniões aqui publicadas são de responsabilidade do colunista.

Anúncios