Pensamentos inclusivos, Sobre Rodas, por Ricardo Albino

quadroDia 21 de setembro é comemorado o Dia Nacional de Luta das Pessoas com Deficiência. Como esse ano a data caiu em um domingo pude passar a semana analisando melhor como e onde é possível se plantar uma semente positiva sobre inclusão. Sei que a tarefa é dura. Por outro lado, apesar de todas as barreiras arquitetônicas, educacionais e ‘’Humanas’’ visíveis ou não, o fato é que vejo possibilidades.

Sempre ouço e assisto noticias ruins que a grande maioria da população atribui a busca exagerada pela audiência. Falar de temas como educação de qualidade para todos parece ser prioridade política temporária, tirada do fundo de um baú velho em período eleitoral. Será mesmo que a “falta de educação” é simplesmente falta de empenho de quem governa e acaba com a nossa cota de confiança e paciência?

O verdadeiro sentido da expressão inclusão começa em casa; cresce na escola e pode chegar a todos os setores da sociedade. Pensando assim, adotei como filosofia que a arte da vida é fazer da vida uma arte. É preciso pensar inclusivo para produzir atitudes positivas.

Quero dividir com os leitores um exemplo de pensamento inclusivo e respeito a diferença. Tenho duas sobrinhas em idade escolar. Em uma das festas do colégio, a mais nova de nove anos chegou toda feliz me dizendo: – “Minha escola está cheia de rampas! Os cadeirantes, as pessoas de muletas, os idosos e as grávidas vão poder ir em todas as nossas festas”.

Outro momento interessante de contar foi quando ao sairmos de uma sorveteria as meninas viraram minha cadeira para a rua mostrando uma moça com próteses nas pernas namorando um rapaz sem deficiência física aparente. Com um lindo sorriso, as duas diziam animadas para mim: ”Que legal! Você também vai poder casar. ”

A alegria delas é a mesma que me motivou a parabenizar e também agradecer a todos que lutam diariamente pelo merecido direito de ser feliz e mostram que tudo na vida é uma questão de oportunidade. Para quem não teve a oportunidade de ler, reproduzo na íntegra meu texto publicado no meu perfil no último domingo 21 de setembro. Espero que gostem e a partir de agora, atitudes positivas e pensamentos inclusivos sejam uma gostosa rotina para nós.

Hoje dia de todos aqueles que como eu, apesar da deficiência, lutam para mostrar que a capacidade de ser feliz independe da existência de bengalas, cadeiras, braços, pernas, vozes, sons, imagens. A felicidade nasce no coração, brota no brilho dos olhos, cresce no sorriso e se eterniza no amor e na amizade. Parabéns a todas as pessoas com deficiência por lutar pelo direito de todos de viver e ser feliz.

Ricardo Albino, jornalista, Coluna Sobre Rodas / Tudo Bem Ser Diferente

ricjornalista@hotmail.com / http:// HYPERLINK “http://ricardo-albino.blogspot.com.br

Fotos de arquivo pessoal

As opiniões aqui publicadas são de responsabilidade do colunista.

Anúncios