Pais, mães, professores e crianças, Papo de Pai, por Carlos Wagner Jota Guedes

imageNão sou muito fã de datas comemorativas. Nem mesmo o meu aniversário tenho muito paciência em comemorar, mas nesta semana temos duas datas que acredito terem importância fundamental na vida da comunidade: o dia das crianças e o dia dos professores.

Sempre fui aquele menino que adorava ir à escola. Para mim foi um eterno prazer ter professores como a Socorro e Jane Karan, de português. Luiz Henrique de sociologia. Walfrido de matemática. Além de aprender a gostar do conhecimento e suas consequências, a escola para mim era o espaço de conviver com os meus iguais, ou seja, outras crianças.

Parece que o João vai pelo mesmo caminho. Dizer para ele que não vai a escola é a mesma coisa que ser torturado. Mas por que o João gosta da escola? Tenho comigo algumas hipóteses:

  1. é lá que o João conhece e convive com seus iguais. Fora isso a vida do João é bem adulta, convivendo com adultos e uma agenda quase adulta;
  2. é lá que o mundo abre-se para o João, é lá que ele cria certezas e principalmente relativiza cada uma delas;
  3. é lá que o João constrói seus vínculos de amizade e tenta aprender a exercitar o convívio com o diferente;
  4. foi através da escola que o João aprendeu que o que faz uma família, não é o pai, a mãe e o filho, mas o amor que une pessoas amorosamente;
  5. ele gosta da escola porque lá ele encontrou a professora Sarah Terra, a professora Érica, a Stéfani e Géssica. Foi na escola e com professores como Rosimeire Bragança e Sabrina que o João cada vez mais se apaixona por música. É por causa da escola, com professores de educação física como Luisa e Rodrigão, que nunca viram nele um problema, mas uma possibilidade, que o menino ama esportes. É por causa de coordenadoras pedagógicas/professoras como Juliana e Dri que conseguimos caminhar por mares por vezes revoltosos.

É possível ser criança sem escola? Acredito que sim!!!!! A escola é uma invenção de nossa sociedade para dar conta do que ela diz considerar fundamental: a transmissão do conhecimento científico. Mas é na escola e com seus professores que nós estamos cada dia mais envolvidos e certos que apesar de tantas barreiras, valeu a pena encontrar estes professores e outros que a memória escondeu. É muitas vezes na escola, que como nós pais, que não estávamos preparados para receber uma pessoa com deficiência como filho, que alguns professores respiraram (e estudaram) fundo e venceram o medo.

Feliz dia das crianças e dos professores!

*Carlos Wagner é graduado em Ciências Sociais e mestre em Sociologia. É entre outras coisas pai do João, uma criança de 6 anos, que nasceu prematura e que teve hemorragia nas veias que irrigam o cérebro. Hoje ele estuda numa escola regular, usa a cadeira de rodas para se deslocar e é uma criança vivíssima. Assina a Coluna Papo de Pai, publicada de 15 em 15 dias em http://www.tudobemserdiferente.com

** As opiniões aqui publicadas são de responsabilidade do colunista.

Anúncios