APRENDENDO FORA DA ESCOLA, Papo de Pai, por Carlos Wagner Jota Guedes

times que participam da libertadores 2015

O ano de 2014 foi bom!!!!! É claro que sempre temos coisas que gostaríamos de ter feito e não fizemos e outras coisas que fizemos mesmo não querendo. Mas a vida é assim.

Com o João não foi nada diferente, aliás, diria que foi um ano muito bom. Como pai dele fiquei muito satisfeito com o seu desenvolvimento no ano. Apesar de ainda ser uma criança muito dependente fisicamente dos adultos, essa parte da história é responsabilidade minha e de Lene, o João tem amadurecido e se desenvolvido da forma que uma criança de 7 anos deve ter. Em última instância, o João é uma criança. Isso me alegra!!!

Esse desenvolvimento, essa capacidade de se tornar a cada dia mais um ser mais complexo, vem acontecendo principalmente por causa do futebol. Uma das primeiras coisas que me mostrou que o João estava de fato aprendendo a ler é que ele lia na TV o nome dos times que estavam jogando uma partida. Mais lindo ainda, foi um dia que o João leu quase toda a classificação do campeonato Brasileiro de 2014 ao final de uma partida. Ou seja, além de saber ler ele estava lendo com velocidade. Melhor ainda, ele ainda me contou tudo depois, ele entendeu o que lia.

Essa tem sido uma possibilidade para o aprendizado do João e que tenho explorado. O João gosta de poucas coisas, e das poucas que ele gosta é de futebol. Assim, o que tenho feito é usar do futebol para a leitura, para compreender o tempo (de que houve um passado, um presente e um futuro), compreender política, saber geografia e para fazer contas e outras coisas.

Por exemplo, com a Copa do Mundo de 2014 o João ficou muito interessado em saber quais tinham sido os outros campeões do mundo. Começamos a pesquisar fazendo perguntas, entre elas, sobre quem era a pessoa mais velha que o João conhecia? Também colorimos as bandeiras de países campeões, escrevemos nomes de países, procuramos os nomes das capitais, descobrimos a cor das camisas das seleções e nome de outros times daqueles países. Agora estamos fazendo dos times que vão disputar a Copa Libertadores de 2015.

É fácil? não é nada fácil!!!!! Exige tempo, paciência e esforço, da criança e de quem acompanha ela, mas é possível. Por que faço isso? Primeiro porque eu gosto deste papel pedagógico da paternidade, segundo porque estou cansado de ouvir dos quatro cantos deste país que os professores não sabem ensinar, e isso é uma tremenda bobagem. Eu apenas procuro estabelecer um caminho para andar na corda bamba que conecta a família e a escola e que permita ao meu filho aprender os valores que acredito imprescindíveis.

*Carlos Wagner é graduado em Ciências Sociais e mestre em Sociologia. É entre outras coisas pai do João, uma criança de 6 anos, que nasceu prematura e que teve hemorragia nas veias que irrigam o cérebro. Hoje ele estuda numa escola regular, usa a cadeira de rodas para se deslocar e é uma criança vivíssima. Assina a Coluna Papo de Pai, publicada de 15 em 15 dias em http://www.tudobemserdiferente.com

** As opiniões aqui publicadas são de responsabilidade do colunista.

Anúncios