18 de Fevereiro, dia da Síndrome de Asperger, por Victor Arthur Silva de Mendonça

10431669_1544825405784917_3383160020381025239_n18 de Fevereiro, dia da Síndrome de Asperger. Se fosse há uns anos atrás, eu provavelmente estaria batendo a cabeça na parede e me perguntando o que há de bom para ser comemorado nessa data. Durante toda a minha vida, passei por incompreensão alheia, surtos de agressividade, tentativas de suicídio, tudo em função dessa minha deficiência. Tive muita depressão, fobia, ansiedade e rejeição. Mas passado se resolve na oração, o único momento em que vivemos é o presente. Acho que nenhum neurotípico jamais vai ter ideia de como é viver com asperger. Como a síndrome é parte de mim, decidi que vou ter a melhor vida possível com ela. Fazer com que as características negativas se manifestem cada vez menos e revelar a minha verdadeira essência que vai além de qualquer rótulo. O budismo me salvou, me reequilibrou totalmente e me fez ter controle das minhas ações, me impedindo de cair nas armadilhas do meu cérebro. Minha percepção de mundo mudou. Hoje vejo que há sim o que ser comemorado. Existe diagnóstico, existe tratamento e existem aspergers e famílias guerreiros. Assim, a vitória é infalível! Sou prova real de que se pode transformar essa angústia em motivo de satisfação e felicidade.

*Victor Arthur Silva de Mendonça tem 18 anos, possui a síndrome de asperger, diagnosticada aos 11 anos. É estudante de jornalismo pelo UniBH e possui uma coluna sobre cinema na Revista Estrada da Serra. É também assistente de produção do programa Fala Comigo, da Rádio Itatiaia. victormendonca97@hotmail.com

Anúncios