Revista em quadrinhos incentiva a doação de medula óssea

image description

image description

A jornalista mineira, Flávia Freitas, idealizadora da Quinta do Bem, campanha que teve origem em 2011 e incentiva a doação de medula óssea, lançou no dia (15/05/), na Casa Acolhida Padre Eustáquio (instituição que recebe crianças do interior de Minas Gerais para tratamento contra o câncer na capital), a revistinha em quadrinhos que conta a história da campanha. Em quatro páginas, a revistinha escrita pela jornalista é a primeira publicação de Minas Gerais que transforma a história real de luta contra a leucemia em quadrinhos, narrando os casos familiares da autora, que perdeu o irmão Anderson e a prima Ana Paula por causa da doença.

O formato lúdico e didático busca divulgar a importância da doação de medula óssea, gesto solidário que pode salvar a vida de quem precisa do transplante. A iniciativa pretende também sensibilizar e informar as crianças e os jovens sobre o cadastro de doadores feitos nos hemocentros, contribuindo para que o público infantojuvenil seja multiplicador da campanha. O roteiro escrito pela jornalista teve a revisão da pedagoga Gisele Gomes Olavo. As ilustrações originais da revistinha foram criadas em aquarela pelo artista plástico Renato César Oliveira e a diagramação elaborada pela publicitária Vanessa Avelar. Os primeiros exemplares para o lançamento foram impressos com recursos próprios da escritora e foram entregues gratuitamente para as crianças da Cape. O projeto da jornalista está aberto a parcerias para impressão de mais exemplares, com a finalidade de serem doados para bibliotecas, escolas, instituições de tratamento contra o câncer e outras.

A história da Quinta do Bem

Em 1999, Flávia Freitas, jornalista de Belo Horizonte (MG), perdeu o irmão Anderson por causa da leucemia. Em 2012, a prima dela Ana Paula, após muita luta com a leucemia, também faleceu. Durante o tratamento da Ana Paula houve a necessidade de encontrar um doador compatível fora da família, pois nenhum parente era compatível com ela. Para mobilizar e incentivar a doação de medula óssea, Flávia Freitas criou em 2011 a campanha Quinta do Bem, a ideia é mulheres usando lenço na cabeça, homens fita vermelha no braço nas quinta-feiras. Para divulgar a ação as pessoas postam as fotos de apoio nas redes sociais e podem enviar também para a página da jornalista no facebook Comunique Bem (atualmente a página tem mais de 4.000 seguidores). A atriz Drica Moares é uma das apoiadoras da Quinta do Bem.

A campanha teve o incentivo de familiares, amigos, conhecidos e simpatizantes na internet, fortalecendo a Quinta do Bem. A campanha é também uma forma de homenagear a memória do Anderson, da Ana Paula e de todos que partiram por causa da leucemia.

A Quinta do Bem extrapolou as redes sociais e já realizou duas campanhas físicas em Betim (cidade onde moram os familiares da jornalista) em parceria com a Hemominas. Em 2011, foram cadastradas 400 pessoas e em 2013 cadastramos 150. Familiares e amigos participam da campanha de forma voluntária. A expectativa é que a Quinta do Bem física seja realizada todos os anos para cadastrar mais pessoas e aumentar as chances de salvar vidas. Por causa da Quinta do Bem, em 2014, Flávia Freitas foi finalista do prêmio Bom Exemplo da Globo Minas, Fundação Dom Cabral, Fiemg e jornal O Tempocondecorada com a medalha mérito da saúde do Estado de Minas Gerais como cidadã voluntária parceira do SUS e madrinha do Outubro Rosa de MG.

Flávia Freitas é cadastrada como doadora de medula óssea desde 2004. O cadastro é feito nos hemocentros de todo o país. O gesto de solidariedade salva vidas. A corrente do bem é contagiante.

Anúncios