Livro Outro olhar, reflexões de um autista, por Victor Mendonça

Convite

Eu nunca me senti uma pessoa adequada, ainda que viva num ambiente moldado a quem se enquadra em certos padrões de normalidade. As características da Síndrome de Asperger não me transformam em alguém melhor ou pior, mas tornam a minha personalidade extremamente complexa e de difícil compreensão. Pelos outros e até por mim mesmo. Aos poucos desenvolvi um trabalho rumo ao autoconhecimento. Sabia que ter noção dos meus limites, forças e das armadilhas de meu próprio cérebro era o único meio de enfrentar um mundo que é dificil para todo mundo mas, especialmente para quem é diferente.

Com o convite para escrever aqui no blog, chegou também, a oportunidade de relatar para as outras pessoas como eram o cotidiano e as especificidades de alguém com a minha condição de asperger. Aliás, o jornalismo está sendo um ótimo meio para eu me expressar. Porém, meu maior ganho foi a constatação, a partir do retorno que tenho, de que eu não estou sozinho nessa luta. Que existem diversos aspies que, como eu, buscam se fortalecer para encarar o mundo. Existem também muitas famílias como a minha, procurando construir uma realidade inclusiva melhor.

Dedicatória

No livro “Outro Olhar: Reflexões de um Autista”, exponho partes de minha trajetória que ajudam a compreender questões inerentes à vida de todos os que possuem a Síndrome de Asperger. Problemas na escola, dificuldades de relacionamento e automedicação são alguns dos temas abordados. Escrever esse livro foi muito desafiador, pois me exigiu que mantivesse a transparência característica aos aspies e, ao mesmo tempo, enxergasse as minhas vivências com certo distanciamento para não restringir a visão retratada aos sentimentos que elas me despertaram. É como se eu tivesse que encarar o lado mais sombrio da minha personalidade, mas o foco não é esse lado em si, mas sim o modo como busco lidar com ele e evitar que se manifeste, já que é inerente à minha vida. Pude constatar que felicidade não é ausência de sofrimento, mas sim a habilidade para lidar com ele. Desafios sempre virão, e é isso que me move.

Livro e Capa

Não escrevi esse livro para me colocar algum rótulo, como o de herói ou mesmo vítima. O que acredito é que sou uma pessoa empenhada em transformar as circustâncias, algo que aprendi ao praticar o budismo, tema que também abordo devido a sua importância para que eu lide com a forma caótica do mundo em que vivemos. Tenho qualidades e defeitos, além de muitas características autistas. Se aparecesse uma oportunidade mágica de me transformar em neurotípico eu recusaria, não por causa do autismo, mas porque aí eu não seria mais eu. E eu gosto de ser o Victor.

O lançamento acontece no dia de 19 de Novembro em parceria com o UniBH, em função da parceria estabelecida pela inclusão social.

Victor Mendonça, 18 anos, asperger diagnosticado aos 11, é estudante de jornalismo pelo UniBH. Escreve para o Tudo Bem Ser Diferente com a coluna Mundo Asperger. Mantém coluna semanal ainda, do Mundo Asperger na WebrádioUniBH, com veiculação às terças feiras. Victor lança em novembro o livro ‘Outro Olhar – Reflexões de um Autista’. mundoaspergervictormendonca@gmail.com https://www.facebook.com/omundoasperger?fref=ts

Anúncios