Aprender cantando ou cantar aprendendo: quando participar é o ponto central da vida social

Para todos os lados da nossa sociedade, observamos demandas de que pessoas com deficiência, sejam incluídas à vida social em condições de igualdade com pessoas sem deficiência. Para isso, é necessário que tenhamos tecnologias assistivas que permitam a entrada e a permanência desses indivíduos nas várias interações. 

Canta e Lê é um dos projetos desenvolvidos no Brasil que usam as tecnologias sociais, as artes, as formas digitais e os modelos pedagógicos inclusivos para que todas e todos possam participar. 

Segundo informações da proponente do Canta e Lê, Patrícia Almeida:

“As crianças adoram música, e podem aprender e se desenvolver muito com ela.

Mas às vezes as canções infantis são rápidas demais para acompanhar e as crianças acabam frustradas ou se desinteressam.  

Já imaginou se pudesse ajustar o ritmo das músicas infantis ao desenvolvimento da sua filha ou do seu filho?

Foi observando as diferentes habilidades e dificuldades das crianças que foi criado o “Canta e Lê”.

Tem criança que é mais visual, outras que aprendem melhor ouvindo ou lendo. Algumas já lêem e ainda não falam. Outras falam e ainda não sabem ler”.

É nesse contexto, que nasce a vaquinha virtual para permitir que este projeto siga à frente. Contribua, divulgue e inclua. Clique na figura abaixo para saber mais.

#pracegover: a imagem tem um fundo rosa que vai ficando branco à medida que chega ao centro. Tem quatro corações ao centro, no coração que está acima tem a figura de uma menina. No alto da imagem há a legenda: “Canta e Lê – Financiamento coletivo Benfeitoria”. Na parte de baixo está escrito “a gente apresenta a ideia e quem” 

Sem título