Livro nos propõe técnicas, métodos e teorias para a educação inclusiva de pessoas com deficiência visual.

*Douglas Ferrari

#pracegover: a imagem destacada é a capa do livro. O tom verde claro compõe o fundo. Na capa à direita está escrito o nome dos autores e à esquerda o título da obra. “Educação e direito: inclusão das pessoas com deficiência visual”.

Caros leitores e leitoras, trazemos até vocês uma obra que busca no diálogo entre os autores uma educação que emancipa; a partir das diferenças que compõe o processo de escolarização das pessoas com deficiência, nesse caso específico, da pessoa com deficiência visual. O livro nos mobiliza a pensar ações em comum para efetivação do direito a educação, que passa pela escrita dos oito capítulos que compõe essa obra e que trata sobre o Atendimento Educacional Especializado (AEE)

É importante salientar que ainda somos obrigados a conviver com processos de segregação, exclusão e marginalização dentro da escola, mesmo porque nossa sociedade ainda está mantida sobre os padrões de normalidade, homogeneidade social, perfeição humana e constituição de homens bons. São os vários momentos que vivemos ao longo da história da educação especial da antiguidade às últimas décadas do século XX. Por meio de discriminação, preconceitos, estereótipos e estigmas, as pessoas com deficiência foram marginalizadas pois não se encaixavam nesses padrões.

Nesses oito capítulos sobre o Atendimento Educacional Especializado das pessoas com deficiência, os escritores mantem a linha da aceita das diferenças, diferentes ritmos e tempos de aprendizagem como caminho para diminuição dos processos de inclusão/exclusão e garantia do direito à educação. O reconhecimento dos direitos enquanto sujeitos, a possibilidade de escolarização em escolas comuns, o acesso à tecnologia assistiva, dentre outras, foram grandes conquistas a partir da luta pela dignidade humana. Hoje, as pessoas com deficiência, em que pese as grandes dificuldades, estão chegando à escola comum, ingressando no ensino superior, e cursando os programas de mestrado e doutorado.

A afirmação do direito à educação, pressupõe a garantia não apenas o ingresso ao ensino o acesso, mas a permanência com qualidade, fruto de lutas, movimentos e reivindicações daqueles que durante séculos, quiseram sair da invisibilidade social.

Ao ler a obra, o leitor verá os temas que são abordados, tais como a adequação e adaptação de recursos acessíveis; garantia de acessibilidade pedagógica que facilite o acesso e permanência dos estudantes; adoção de práticas pedagógicas capazes de eliminar os entraves que dificultam nosso ingresso e permanência; remoção das barreiras físicas, arquitetônicas, comunicacionais, pedagógicas e atitudinais. De modo geral, os autores fazem uma defesa do Atendimento Educacional Especializado nas escolas em todos os níveis do ensino, com possibilidade de utilização da música como um importante instrumento de inclusão social, das práticas pedagógicas corporais necessárias ao processo de inclusão escolar, do modelo social da deficiência e da garantia do direito à educação.

Esperamos que essa obra possa contribuir com gestores públicos, coordenadores pedagógicos, professores do ensino comum e, em especial, professores do ensino especial que estão acompanhando, auxiliando, apoiando e dando suporte aos alunos com deficiência nas salas de recursos multifuncionais, procurando garantir que esses novos sujeitos sociais possam não apenas ingressar nas instituições de educação em todos os níveis, mas sim, obter sucesso e permanência. Para adquiri-lo, interessados podem acessar o site da Editora Brasil Multicultural: http://www.brasilmulticultural.com.br

 

*DOUGLAS FERRARI
Professor do Centro de Educação - Deps/CE/Ufes
Professor do Programa de Pós-graduação em Educação/modalidade profissional- CE/Ufes
 E-MAIL: dochris.ferrari@gmail.com SKIPE: dochris.ferrari FACEBOOK: DOUGLAS FERRARI TEL: (27) 988092676 (WPP)